DIA DAS MÃES 48% dos consumidores têm intenção de compra
image

DIA DAS MÃES

48% dos consumidores têm intenção de compra

Pandemia mudou hábitos do consumidor, atento às restrições impostas a cada semana. Expectativa é que as vendas se equiparem às do ano passado com maior movimento na próxima semana

 

Este será o segundo Dia das Mães em meio à pandemia do Coronavírus. Mesmo depois de ter passado 12 meses, as incertezas em relação ao vírus continuam e, principalmente, os reflexos na economia são cada vez mais devastadores, tanto para empresas, quanto para consumidores. Uma pesquisa realizada pela Fecomércio-RS aponta que a data não passará em branco, mas alerta os lojistas para que se mantenham atentos ao comportamento dos consumidores, fazendo as devidas adaptações, cada vez mais fundamentais. Do total de entrevistados, 47,9% manifestaram intenção de presentear na data, mesmo confirmando que as condições estão mais difíceis.

 

Com lojas abertas ou não, o comércio varejista de Bento Gonçalves não pode ficar à mercê do inesperado. A dica do Sindilojas Regional Bento para este Dia das Mães, segunda principal data do ano para o setor, é apostar na criatividade, ousar nas promoções e aderir às ferramentas digitais. “Com tanto abre e fecha, o consumidor está muito mais atento e aberto a novas opções, desde que sejam seguras e coerentes com a situação. Tudo indica que o comércio não-essencial estará aberto, mas já vivemos o bastante para saber que de uma semana para outra tudo pode mudar. Estamos incessantemente trabalhando neste sentido, para garantir que as empresas tenham condições de alcançar boas vendas nesta que é uma das mais importantes datas do ano para o varejo”, destaca o presidente do Sindilojas Regional Bento, Daniel Amadio.

 

Segundo Amadio, a pesquisa também mostra que mais de 40% dos consumidores mudaram seus locais de compra em razão do Coronavírus. E que em caso de comércio fechado às vésperas da data, 77,9% realizarão a compra de qualquer forma. A pesquisa mostrou que 7,0% deixariam de fazer a compra do presente e 15,1% postergariam, enquanto 46% comprariam presentes pela internet ou por tele entrega e 31,9% comprariam nas alternativas abertas. Caso contrário, os pontos mais citados ainda são as lojas do Centro das cidades (52,2%), seguido pela Internet (18,4%) e pelos Shopping Centers (13,2%).

 

Os segmentos que deverão ser mais movimentados são o do Vestuário (28,6%), Perfumes e Cosméticos (18,7%) e Calçados (9,4%). O número médio de presentes é de 1 unidade, sendo que o valor dos presentes deve ficar em torno de R$ 131,09; média que equivale a R$ 123,94 no caso dos presentes individuais e que sobe para R$ 161,24 para os presentes compartilhados.

 

A pesquisa indica que os consumidores estão atentos aos preços – fator mais citado (45,2%) como determinante para as compras, seguido por atendimento (12,7%). Em relação ao hábito de comprar on-line, a pesquisa identificou que aqueles consumidores que têm o hábito de comprar pelo meio digital (63,9% de todos entrevistados) o fazem sobretudo em lojas grandes (80,5%), com apenas 19,5% comprando online de pequenos comércios.